quinta-feira, 5 de abril de 2012

ABIH-RJ e CNO garantem hospedagem durante a Rio + 20


A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro confirmou hoje, durante seminário realizado sobre a Rio+20, no Centro Cultural Banco do Brasil que para este evento quase 12 mil quartos estão reservados e contratados pelo Comitê Nacional da Organização. O número representa 70% da oferta dos apartamentos de hotéis quatro e cinco estrelas. Diante destes números a ABIH-RJ já faz uma projeção de uma taxa de ocupação de até 95% dos apartamentos, lembrando que muitos eventos paralelos acontecerão na semana entre os dias 17 e 24 de junho.

Segundo Alfredo Lopes, presidente da ABIH-RJ até 2016 a cidade ganhará 10 mil novos apartamentos e 36 novos hotéis. Já para o final deste ano o Rio devem ter início a construção de 5.800 novos apartamentos. "Destaco o empenho que está sendo feito em conjunto entre as autoridades do Rio e do governo federal para oferecer uma boa infraestrutura de turismo receptivo", afirmou.

Já o Secretário Nacional do Comitê Nacional de Organização (CNO) da Rio+20,  ministro Laudemar Aguiar assegurou que não haverá problemas para alocar membros de delegações estrangeiras que participarão da Rio+20 — Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Em entrevista coletiva realizada no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio, Laudemar Aguiar informou que, pelo menos, 84 delegações solicitaram quartos de hotel para seus chefes de Estado.

Além disso, a Organização das Nações Unidas (ONU) já registrou 100 pedidos de inscrição de chefes de Estado ou líderes de Governo para pronunciamento oficial na Conferência.  O volume de visitantes, estimado em 50 mil pessoas credenciadas para as atividades oficiais — fora o público que deve participar de uma gama de atividades paralelas — não espanta os organizadores. Segundo o Secretário Nacional do Comitê Nacional de Organização da Rio+20, cidade alguma no mundo tem um estrutura permanente para um evento deste porte e a hospedagem alternativa e solidária é uma prática comum no exterior. 

"Entre hotéis de cinco e quatro estrelas, temos hoje cerca de 50% de leitos do Rio de Janeiro já bloqueados. Já atendemos a mais de oito mil membros das delegações estrangeiras. Com relação às delegações oficiais e representantes da ONU não há qualquer dúvida quanto à hospedagem. Para os demais, a acomodação em hotel será complementada com outro tipo de acomodação", explicou Laudemar Aguiar. 
No entanto, ao ser questionado sobre investigações que começaram a ser feitas a pedido do Ministério Público sobre a elevação de preços nos hotéis em função da elevada demanda, o ministro foi cauteloso, ressaltando apenas que a iniciativa partiu do próprio Governo. "A partir de negociações do Ministério do Turismo e do Ministério da Justiça com a ABIH e com a rede hoteleira, devemos ter respostas sobre o assunto. Prefiro aguardar essas negociações", acrescentou. 

Ainda com relação à acomodação dos visitantes, Laudemar Aguiar informou que a Prefeitura ofereceu espaços para acampamentos. Por enquanto, a área do parque da Quinta da Boa Vista está reservada. Mas outros locais já foram cedidos pela Prefeitura e seu uso ainda está sob análise dos organizadores. A Rio+20 será realizada em etapas. Entre os dias 13 e 15 de junho, os comitês se reunirão para as negociações diplomáticas, já que o objetivo é levar o documento final, pronto para aprovação dos chefes de Estado ou líderes de Governo.

De 16 a 19 de junho, serão realizados debates com a sociedade civil sobre grandes temas voltados para o desenvolvimento econômico e social. E, no período de 20 a 22 de junho, acontecerá a conferência propriamente dita, sob a tutela da ONU que ganhará as "chaves do RioCentro". Para a conferência, foram convidados os 193 Estados membros da ONU. A expectativa é contar com a participação de 100 a 120 chefes de governo e estado. "De 13 a 22 de junho, o Rio será o umbigo do mundo. Se na Rio-92 contamos com um número expressivo de ONGs, desta vez também teremos a participação expressiva também do empresariado e das instituições acadêmicas. Na Conferência, o Brasil vai mostrar a sua experiência de desenvolvimento sustentável, divulgando políticas de inclusão social, tecnologias limpas e seu comprometimento com o desenvolvimento sustentável", observou o representante do Governo Federal. 

As atividades serão realizadas no RioCentro, no Parque dos Atletas (Cidade do Rock), no Autódromo e na Arena HSBC, de onde serão transmitidas imagens em tempo real dos eventos. Também haverá as atividades paralelas no Parque do Flamengo — onde acontecerá o encontro da Cúpula dos Povos —, no Museu de Arte Moderna (MAM) e na casa de espetáculos Vivo Rio, que também transmitirá eventos em tempo real. Outro polo de atividades será o Pier Mauá, no Centro do Rio (quatro Armazéns e o Galpão da Cidadania). Além disso, na Quinta da Boa Vista, haverá uma área destinada ao acampamento dos estudantes. 
"Teremos dois polos de transmissão: a Arena HSBC, na Barra, e o Vivo Rio, no Centro. Também incentivaremos o uso da internet e das mídias sociais para que o maior número possível de pessoas possa acompanhar as discussões", observou o ministro. 
A Segurança do encontro está a cargo do Ministério da Defesa; Forças Armadas trabalham de forma integrada com os poderes estadual e municipal do Rio de Janeiro. Com relação ao trânsito, Laudemar Aguiar explicou que haverá um RioCard especial para ser utilizado durante a Rio+20 em ônibus, trens, metrô e barcas, a fim de evitar filas. "O Rio é uma cidade acostumada a receber grandes eventos, como o Réveillon e o Carnaval. Haverá comboios com os chefes de Estado. E a população será avisada sobre as alterações de trânsito para que as pessoas possam se programar com antecedência", ressaltou o ministro. 

A Rio+20 será uma conferência voltada para o desenvolvimento sustentável. O conceito extrapola as preocupações ambientais e envolve, também, a inclusão social. A proposta é incentivar e divulgar práticas da economia verde, sugerir políticas de erradicação da pobreza, inclusão social e de acessibilidade. Ao explicar aspectos logísticos e de organização da Conferência, Laudemar Aguiar afirmou que o Brasil dá exemplo quando o tema é sustentabilidade, seja pelo uso de energias limpas, seja pela inclusão social e também pelas práticas de acessibilidade, uma das preocupações dos organizadores da Rio+20. 

Uma das iniciativas nesse sentido é o recrutamento de mil jovens de comunidades vulneráveis e 400 universitários. Eles serão capacitados para atuar no encontro. E, após a Conferência, será feito um cadastro positivo, a fim de recrutar aqueles com melhor desempenho em eventos futuros ou atividades da rede hoteleira.  "Vamos implementar a participação de voluntários de, pelo menos, mil jovens de comunidades vulneráveis. Não pensamos somente na Rio+20. Temos a ideia de capacitá-los e pretendemos utilizá-los, no futuro. Vamos criar um cadastro positivo onde agregaremos o conceito de incluir socialmente com o da meritocracia: quem trabalhou bem será convidado a trabalhar nos próximos eventos", revelou Laudemar Aguiar.

Outra iniciativa anunciada de viés educativo, no sentido da acessibilidade. As instalações, especialmente as do RioCentro, serão adaptadas a portadores de necessidades especiais. Além das pessoas com deficiência motora, portadores de deficiência auditiva e visual poderão acompanhar as atividades, já que a acessibilidade para esse tipo de necessidade especial vai estar garantida por meio de aplicativos e tradução de linguagens. "Queremos que essa seja uma conferência educativa. O Governo quer a Rio+20 participativa e inclusiva. A acessibilidade não deve ser considerada um fardo, mas um aspecto que faz parte da mobilidade urbana do Rio e de outras cidades do Brasil", completou o Secretário Nacional do Comitê Nacional de Organização da Rio+20...






Para mais informações sobre Hotéis e Pousadas no Rio de Janeiro acesse: Guia de Hotéis RJ

Nenhum comentário:

Postar um comentário